Remover o nome da logo é um padrão que está cada vez mais presente nas empresas com grande atividade no mundo digital. É uma tendência que facilmente passa despercebido mas tem um grande impacto na nossa relação com as marcas que lidamos dia a dia.

Mas por que os nomes estão sumindo da logo das empresas?

Se você prestar atenção nas maiores empresas do mundo nos últimos 15 anos, vai perceber que todas têm uma presença muito forte na web. A maioria delas, inclusive, são empresas que nasceram no segmento tecnológico. Twitter, Facebook, Instagram, WhatsApp e outros apps passaram a ser parte diária do nosso vocabulário. Esse presença digital força as empresas a perseguirem uma visualização da melhor forma possível em todas as plataformas que são vistas.

 

Como assim “melhor visualização”? Não basta ver a logotipo da empresa?

Não é simples assim. A logo de uma empresa vai representá-la em todos os lugares. Desde outdoors imensos, passando por material de escritório, até pequenos ícones na tela do smartphone. Se uma empresa tem um símbolo muito carregado, sem harmonia, de difícil entendimento, as chances de a visualização não sair perfeita aumentam muito. A logo precisa refletir a ideia e a filosofia da empresa, de seus produtos e serviços, mas é preciso ter em mente a visualização em diferentes tipos de mídia na hora de criar uma logotipo.

 

E quais são os lugares que a logotipo das empresas aparecem?

Em mídia OOH (Out Of Home), temos outdoors, mobiliários urbanos, telões de LED, panfletos e outros. Para mídia impressa é preciso considerar flyers, folders, cartões de visita, material de escritório (papel timbrado, envelopes etc.). E mais recentemente, a maior preocupação das empresas é no âmbito digital!  Telas de smartphone, telas de smarTVs, tela de exibição do superbowl, é preciso considerar a qualidade das cores para aparecer nas telas (nem toda tela mostra as mesmas cores), e recentemente um novo dispositivo se tornou mais uma preocupação: os smartwatches e dispositivos IoT (da internet das coisas), que introduziu telas interativas em diversos aparelhos tradicionais, como geladeiras, umidificadores de ar e fechaduras.

Estes são alguns dos exemplos de empresas que simplificaram e removeram parcialmente ou todas as letras de sua logo.

 

Se você der uma olhada rápida na tela do seu smartphone, vai ver que os ícones são todos compostos apenas pela parte gráfica. Eles estão tão presentes em nossa vida que já nos acostumamos a reconhecê-los facilmente, abrindo espaço para as marcas se sentirem confortáveis e remover os nomes, permitindo melhor enquadramento em telas de aplicativos, telas do sistema corporativo, splash screens mais elegantes, ícones de apps, visualizações em telas minúsculas em relógios inteligentes e diversas outras ocasiões. É até mais fácil adequar uma logo simples em situações não previstas, do que criar uma variante específica para cada situação imaginável.

Na próxima vez que for redefinir ou criar uma logo, tenha em mente sua utilização em ambiente virtual, ou pelo menos crie uma variante que possa ser seguramente usada na internet e bem visualizada em telas pequenas como smartphones e smartwatches. Criamos um artigo explicando como mudanças sutis têm grande efeito no redesign de logotipos, leia clicando aqui.